Panorama acadêmico-científico da contabilidade ambiental na pós-graduação brasileira

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18696/reunir.v13i4.1123

Palavras-chave:

Pós-graduação brasileira em Contabilidade; Ensino e pesquisa em Contabilidade Ambiental; Contabilidade Ambiental.

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar a pós-graduação brasileira em Contabilidade com ênfase no ensino e pesquisa da Contabilidade Ambiental para, a partir das informações levantadas, elaborar um prognóstico da área. Caracteriza-se como pesquisa documental, bibliométrica, de natureza descritiva e mista, para o que foram utilizados dados secundários extraídos da plataforma Sucupira da Capes, dos Grupos de Pesquisa do CNPq e de periódicos científicos brasileiros dedicados a  Contabilidade. Destacam-se o escasso número de cursos de pós-graduação existentes no Brasil em Contabilidade frente ao número de matrículas e de graduados na área; pouca representatividade de temas da Contabilidade Ambiental nas disciplinas, nas dissertações e teses, replicando-se esta situação nas pesquisas desenvolvidas pelos grupos de pesquisa e nas publicações científicas em periódicos brasileiros com percentagens pouco significativas em relação a publicação total. Estes resultados confirmam achados das pesquisas que constituiram o referencial teórico deste trabalho. Este artigo tem como principal contribuição alertar pesquisadores da área quanto a necessidade de focar temas da Contabilidade Ambiental, tanto no ensino quanto na pesquisa, de forma de colaborar com o desenvolvimento sustentável do País. A carência destes quesitos ficou em evidência após o tratamento das informações levantadas. Outra contribuição importante foi ressaltar os temas da Contabilidade Ambiental efetivamente tratados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Angotti, M., & Ferreira, A. C. S. (2017). Contribuições dos anos 1970 à Contabilidade Socioambiental e reflexões para pesquisas futuras: Um survey com pesquisadores brasileiros. International Business and Economics Review, Edição Especial ISG (8), 227-267. Recuperado de http://recil.grupolusofona.pt/handle/10437/8050/

Beuren, I. M. (2021). Formação de capital humano nos Programas de Pós-Graduação de Contabilidade. Revista Brasileira de Contabilidade, 50(247), 3-15.

Brasil. (2003). Programa Nacional de Educação Ambiental ProNEA: Documento em Consulta Nacional. Brasília: MEC/MMA.

Brasil. (2017a). Comissão Especial de Acompanhamento do PNPG - 2011-2020: Relatório Final 2016 - Sumario Executivo. Brasília: CAPES.

Brasil. (2017b). Censo da Educação - 2016: principais resultados. Brasília: MEC.

Calixto, L. (2006). o ensino da contabilidade ambiental nas universidades brasileiras: um estudo exploratório. Revista Universo Contábil, 2(3), 65-78. Recuperado de https://biblat.unam.mx/hevila/Universocontabil/2006/vol2/no3/4.pdf

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior [CAPES]. (2018). Legislação específica. Brasília: MEC. Recuperado de http://capes.gov.br/avaliacao/sobre-a-avaliacao/legislacao-especifica

Cosenza, J. P., Mamede, E., & Laurencel, L. D. (2010). Análise dos Fundamentos Teóricos Associados à Pesquisa Contábil na área Ambiental. Enfoque: Reflexão Contábil, 29(1), 18-38.

Costa, F., & Martins, G. de A. (2016). Influências da socialização acadêmica no desenvolvimento das publicações científicas em contabilidade no Brasil: uma análise dos programas de pós-graduação stricto sensu. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade (REPeC), 10(3), 314-331.

Deegan (2002). Introduction: the legitimising effect of social and environmental disclosures – a theoretical foundation. Accounting, Auditing and Accountability Journal, 15(3), 282-311. DOI: https://doi.org/10.1108/09513570210435852

Ferreira, L. F., Três, L. D., Garcia, G. E., Bittencourt Junior, F. J., & Ferreira, D. D. M. (2009). Indicadores de sustentabilidade Empresarial: uma comparação entre os indicadores do balanço social IBASE e relatório de sustentabilidade segundo as diretrizes da Global Reporting Initiative GRI. Anais do SEGeT – Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia, Resende: AEDB, 6. Recuperado de http://info.aedb.br/seget/artigos09/445_445_Contabilidade_social_REV.seget[2].pdf

Galvão, C. C., & Tenório, J. N. (2009). Um Estudo sobre o Ensino da Contabilidade Ambiental nos Cursos de Graduação em Ciências Contábeis. Anais do Congresso Brasileiro de Custos, Fortaleza, CE, 16.

Gonçalves, S. S., & Heliodoro, P. A. (2005). A Contabilidade Ambiental como um novo Paradigma. Revista Universo Contábil, 1(3), 81-93.

História do Ensino de Línguas no Brasil. (2009). LDB de 1961. [on line] Recuperado de http://www.helb.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=32:ldb-de-.%201961&catid=1035:1961

Holland, L. (2004). Experiences from a student programme designed to examine the role of the accountant in corporate social responsibility (CSR). International Journal of Sustainability, 5(4), 404-416.

Linowes, D. F. (1968). Socio-Economic Accounting. The Journal of Accountanc, 37.

Machado, D. D., Diniz, G. M., Marinho, L. F., Furtado, C. F., Sousa, A. M., & Sena, A. M. (2012). Desenvolvimento Sustentável e Responsabilidade Social Corporativa: Um Estudo da Produção Científica Brasileira. Revista Brasileira de Administração Científica, 3(3), 183-200.

Mathew, M. R. (1997). Twenty-Five Years of Social and Environmental Accounting Research. Accounting, Auditing and Accountability Journal, 10(4), 481-531.

Montibeller-Filho, G. (2007). Empresas, desenvolvimento e ambiente: diagnóstico e diretrizes de sustentabilidade. Barueri: Manole.

Paiva, P. R. (2003). Contabilidade Ambiental: evidenciação dos gastos ambientais como transparência e focada na prevenção. São Paulo: Atlas.

Palma, L. C., Oliveira, L. M., & Viacava, K. R. (2011). Sustainability in Brazilian Federal Universities. International Journal of Sustainability in Higher Education, 12(3), 250-258.

Ribeiro, C. D., & Rossato, M. V. (2017). Algumas visões acerca da contabilidade ambiental no Brasil. Recuperado de http://www.economicas.uba.ar/wp-content/uploads/2017/08/Ribeiro_rossato.pdf

Santos, A. D., Silva, F. B., Souza, S., & Sousa, M. F. (2001). Contabilidade Ambiental: Um Estudo sobre sua Aplicabilidade em Empresas Brasileiras. Revista Contabilidade & Finanças, 16(27), 89-99.

Santos, A. L., & Azevedo, J. M. (2009). A pós-graduação no Brasil, a pesquisa em educação e os estudos sobre a política educacional: os contornos da constituição de um campo acadêmico. Revista Brasileira de Educação, 14(42), 534-605.

Sinay, M. C. F., Dalbem, M. C., Loureiro, I. A., & Vieira, J. M. (2013). Ensino e Pesquisa em Gestão Ambiental nos Programas Brasileiros de Pós-Graduação. RAM - Revista Administração Mackenzie, 14(3), 55-82.

Theóphilo, C. R., Sacramento, C. O., Neves, I. F., & Souza, P. L. (2000). O ensino da teoria da contabilidade no Brasil. Contabilidade Vista & Revista, 11(3), 3-10.

Tinoco, J. E. P., & Kraemer, M. E. P. (2004). Contabilidade e Gestão Ambiental. São Paulo: Atlas.

Tregidga, H., & Laine, M. (2022). On crisis and emergency: Is it time to rethink long-term environmental accounting? Critical Perspectives on Accounting, 82, 102311.

Yakhou, M., & Dorweiler, V. P. (2004). Environmental Accounting: an essential component of business strategy. Business Strategy and the Environment, 13(2), 65-77. DOI: https://doi.org/10.1002/bse.395

Publicado

2024-04-02

Como Citar

Sinay, M. C. F. de, Braga, I. L., & Faria Duarte, A. L. . (2024). Panorama acadêmico-científico da contabilidade ambiental na pós-graduação brasileira. REUNIR Revista De Administração Contabilidade E Sustentabilidade, 13(4), 1-17. https://doi.org/10.18696/reunir.v13i4.1123

Edição

Seção

Artigos científicos