REUNIR Revista de Administração Contabilidade e Sustentabilidade https://reunir.revistas.ufcg.edu.br/index.php/uacc <p>Revista de Administração, Contabilidade e Sustentabilidade</p> <p>Journal of Management, Accounting and Sustainability</p> <p>Revista de Administración, Ciencias Contables y Sostenibilidad</p> <p> </p> <p><strong>COPE - Comitê de Ética em Publicações</strong></p> <p>A REUNIR procura adotar os princípios do <strong>COPE - Comitê de Ética em Publicações, </strong><strong>, </strong>disponível em: https://publicationethics.org/guidance/Guidelines.</p> <p><strong>Descrição:</strong></p> <p>A Revista de Administração, Contabilidade e Sustentabilidade foi criada em 2011 e é publicada quadrimestralmente (publicação contínua), podendo publicar edições especiais, da Universidade Federal de Campina Grande, com acesso aberto ao seu conteúdo em texto completo (revisado por pares) online. Registrada sob ISSN 2237-3667 (online).</p> <p><strong>Áreas</strong></p> <p>A revista publica artigos nas seguintes áreas:</p> <p><strong><u>Área de Administração</u></strong><strong> </strong>(Administração da Informação, Administração Pública, Estudos Organizacionais, Ensino e Pesquisa em Administração, Estratégia em Organizações, Finanças, Gestão de Ciência, Tecnologia e Inovação, Gestão de Operações e Logística, Gestão de Pessoas e Relações de Trabalho e Marketing). </p> <p><strong><u>Área de Ciências Contábeis </u></strong>(Controladoria e Contabilidade Gerencial, Contabilidade para Usuários Externos, Mercados Financeiro, de Crédito e de Capitais, Educação e Pesquisa em Contabilidade, Contabilidade, Sustentabilidade e Organizações). </p> <p><strong><u>Área de Gestão Ambiental e Sustentabilidade </u></strong>(Sistemas de Indicadores de Sustentabilidade, Abordagens e Práticas Sustentáveis, Educação Ambiental, Gestão Ambiental em Organizações, Gestão Socioambiental Setorial, Gestão dos Recursos Naturais, Meio Ambiente e Sociedade). </p> <p>A REUNIR aceita a submissão dos seguintes trabalhos: </p> <ul> <li>Artigo científico</li> <li>Relatos Técnicos - foco em estudos de programas profissionais da área</li> <li>Resenhas de livros</li> </ul> <p>A REUNIR procura adotar os princípios do Comitê de Ética na Publicação (COPE) para publicação acadêmica, no intuito de ser fonte confiável de conhecimento, dados e informações. Através de sua política procura por meio de seu escopo editorial, priorizar trabalhos que explorem temas relevantes para a sociedade. Tem buscado adotar estratégias com temas destacados nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU dentro de sua interface no contexto da Administração, Contabilidade e Gestão Ambiental nos mais variados aspectos sociais, econômicos e ambientais. </p> <p>https://www.reunir.revistas.ufcg.edu.br/index.php/uacc/about</p> <p> </p> pt-BR <h4>Declaração de Direito Autoral</h4><p>Direitos Autorais para artigos publicados nesta revista são do autor, com direitos de primeira publicação para a revista. Em virtude de ser um periódico de acesso público, os artigos são de uso gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais, com caráter científico.</p><p>A Revista REUNIR adota Licença <big><span style="font-family: Arial;"><span><span><a href="http://creativecommons.org/licenses/by-nc/3.0/br/" rel="license">Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial 3.0 Brasil License</a> ou seu equivalente.</span></span></span></big></p><p> </p> revistareunirufcg@gmail.com (Dr. José Ribamar Marques de Carvalho) revistareunirufcg@gmail.com (Dr. José Ribamar Marques de Carvalho) Qui, 22 Dez 2022 11:02:53 -0300 OJS 3.2.1.1 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Palavra do Editor https://reunir.revistas.ufcg.edu.br/index.php/uacc/article/view/1522 <p><strong>Palavra do Editor – Editorial v.12 (4), 2022. </strong></p> <p>Caro(a) leitor(a), apresentamos o quarto volume do ano de 2022. Parabenizo a todos (as) autores (as) que tiveram artigos publicados nesta edição. Externo meus agradecimentos aos avaliadores <em>ad hoc</em> da REUNIR que durante este ano contribuíram significativamente para a qualidade dos trabalhos publicados em nosso periódico, sem o empenho de vocês as edições do ano de 2022 e de anos anteriores não seria possível.</p> <p>Reforço mais uma vez meus votos de boas-vindas para novas as editoras associadas Dr.ª Ana Carolina Kruta de Araújo Bispo (Universidade Federal da Paraíba) e Dr.ª Rosana da Rosa Portella Tondolo (Universidade Federal de Pelotas) e Dr.ª Cristiane Lourenço Ubeda (UFSCar), que irão compor o nosso time a partir do ano de 2023. Certamente contribuirão bastante para nossa revista. Obrigado por terem aceitado nosso convite!</p> <p>Neste número, são publicados nove artigos científico. O primeiro artigo foi escrito por Thais Amélia Rodrigues, Leandro Araújo Wickboldt e Esdras Santos Carvalho. Os pesquisadores investigaram o nível de adesão das empresas brasileiras de capital aberto ao programa de integridade (PI) por meio da metodologia qualitativa, o que permite o escrutínio do cumprimento, gerando contribuição prática. Evidenciaram que importantes empresas não declaram explicitamente como deve ser a conduta dos seus agentes no relacionamento com o setor público.</p> <p>Os autores Arthur Frederico Lerner e Leonardo Flach analisaram como a forma que a companhia se endivida influencia suas oportunidades de crescimento. Os dados coletados referem-se às empresas listadas na [B]3, sendo considerado o período de 2009 a 2020. Utilizar-se-á regressão múltipla, por meio de dados em painel com série temporal empilhada, tendo como variável dependente as oportunidades de crescimento, medida por meio do índice Market-to-book (MB) e Q de Tobin (Q), e como variáveis independentes o Endividamento, Tamanho, Retorno sobre o ativo (ROA), Crescimento da Receita e Despesas de Capital (CAPEX). O modelo do Market-to-book foi melhor explicado do que o modelo Q de Tobin pelas variáveis escolhidas.</p> <p>No terceiro artigo Priscila de Oliveira Rodrigues, Katiane Fréu e Luís Moretto Neto analisar o Programa Mesa Brasil-SESC (MBS), sob à luz da Coprodução e da Economia Circular, contextualizadas ao atual cenário Brasileiro, a partir das experiências dos municípios de Ijuí e Erechim/RS. Observaram que o programa procura atuar com&nbsp; eficiência, eficácia e efetividade, em prol do bem público, por meio de Coprodução, predominantemente, por automobilização, em uma gestão participativa e social. Além disso, desenvolve ações assistenciais e educativas que visam a transcender o modelo linear de produção e de consumo, característica aderente à Economia Circular.</p> <p>Por sua vez, o quarto artigo dos autores Amanda Samylli da Silva, Rosângela Queiroz Souza Valdevino, Adriana Martins de Oliveira e Saulo Medeiros Diniz averiguaram os motivos que influenciam os discentes dos cursos de Ciências Contábeis a serem desonestos.&nbsp; Utilizou-se a abordagem quantitativa, que se desenvolveu a partir da aplicação de um questionário estruturado e validado de Grimes e Rezek (2005) adaptado por Moura (2018), dividido em três dimensões. Os achados evidenciaram que os motivos que influenciam os acadêmicos de Ciências Contábeis a serem desonestos foram: estar cursando o sétimo período em uma IES pública e desenvolverem uma atividade remunerada. &nbsp;</p> <p>O quinto artigo da autoria de Ana Paula Kieling, Guilherme Lima Vargas e Rafael Tezza investigaram os estudos existentes sobre usabilidade na experiência do usuário (UX) no comércio através de dispositivos móveis (m-commerce), identificando os direcionamentos principais relacionados ao tema de modo a propor novas perspectivas de pesquisa na área no período de 2010 a 2020. A agenda de pesquisa sugere diferentes abordagens metodológicas a serem aplicadas, tais como <em>machine learning</em> e pesquisa experimental. Ainda, identifica-se oportunidades para estudos que envolvam UX no âmbito de serviços, tais como turismo, alimentos &amp; bebidas e educação.</p> <p>No sexto artigo, Murilo Barreto Santana, Risia Kaliane Santana de Souza, Adriana Barreto dos Santos e Amarildo Jose Morett compreenderam a contribuição do artesanato produzido pela Associação Hernani Sá Criativo para o desenvolvimento do Turismo Cultural em Ilhéus-Ba. Concluíram, de modo geral, que o artesanato criado na Associação Hernani Sá Criativo contribui para o desenvolvimento do Turismo Cultural em Ilhéus de maneira significativa e direta.&nbsp; Os produtos criados pelos artesãos associados traduzem a identidade cultural de Ilhéus e toda região cacaueira. Embora continue sendo necessária uma maior participação do poder público no que se refere a estratégias de valorização do patrimônio e divulgação do artesanato local como um potencial atrativo turístico.</p> <p>O sétimo artigo desta edição do autor Alexandre André Feil analisou as correntes teóricas dos níveis (paradigmas) da sustentabilidade e seus limites de aplicabilidade. O estudo traz uma reflexão e um alerta às partes interessadas para repensar a direção desejada do nível de sustentabilidade para o futuro do sistema global, se o almejado é o sustentável ou o insustentável.</p> <p>No oitavo artigo Margarete Blume Vie, Dusan Schreiber e Vanessa Theis analisaram e propuseram melhorias em relação à gestão de resíduos em empresas do setor calçadista. Os resultados evidenciam que as empresas estudadas se preocupam com a correta gestão e destinação final ambientalmente adequada, contudo, existem diversos aspectos que deveriam ser melhorados, principalmente no que se refere ao controle de resíduos e a redução na geração por meio do reaproveitamento/reciclagem.&nbsp; A pesquisa contribuiu para o avanço do conhecimento sobre a gestão de resíduos na indústria calçadista, bem como ofereceu importantes subsídios para a ação gerencial no intuito de promover mudanças no processo operacional.</p> <p>Finalmente, o artigo nove dos autores Auris Martins de Oliveira, Miguel Afonso Sellitto e Jéferson de Souza Flores apresentaram os impactos econômicos, sociais e ambientais da implantação de empresas de geração de energia eólica em comunidades do Rio Grande do Norte, Brasil. Os resultados apontam para aspectos positivos de remuneração e geração de trabalho, com unanimidade entre empresa, moradores e relatórios de auditoria sobre estes benefícios. Embora a renda se mostre como fator positivo, há insatisfações sobre oscilações de valores pagos e a falta de transparência. Foi possível observar a contribuição corporativa para o desenvolvimento sustentável, com ações sobre a vida selvagem, cujo construto identifica sinergia nas informações colhidas, com observância para a silvicultura. Por fim, foram identificados também impactos ambientais significativos como poluição sonora e emissões atmosféricas em forma de poeira.</p> <p>Espero que desfrutem dessa nova edição.</p> <p>Saudações editoriais e acadêmicas.</p> <p>Sousa, PB, 11 de dezembro de 2022.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>José Ribamar Marques de Carvalho, PhD.</strong></p> <p><a href="https://orcid.org/0000-0003-3482-9231">https://orcid.org/0000-0003-3482-9231</a> Pós-doutorado em Ciências Contábeis PPGCC Unisinos. Professor Associado da Universidade Federal de Campina Grande e do Mestrado Profissional em Administração Pública – PROFIAP UFCG. Editor-chefe da Revista REUNIR. Líder do Observatório de Gestão, Contabilidade &amp; Sustentabilidade – GEPCON/CNPq. E-mail: <a href="mailto:josé.ribamar@professor.ufcg.edu.br">josé.ribamar@professor.ufcg.edu.br</a>&nbsp;</p> José Ribamar Marques de Carvalho Copyright (c) 2022 REUNIR Revista de Administração Contabilidade e Sustentabilidade https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 https://reunir.revistas.ufcg.edu.br/index.php/uacc/article/view/1522 Qui, 22 Dez 2022 00:00:00 -0300 Adesão ao Programa de Integridade pelas Companhias Brasileiras do Ibovespa https://reunir.revistas.ufcg.edu.br/index.php/uacc/article/view/1084 <p>O estudo inova ao investigar o nível de adesão das empresas brasileiras de capital aberto ao programa de integridade (PI) por meio da metodologia qualitativa, o que permite o escrutínio do cumprimento, gerando verdadeira contribuição prática. Com a exposição de diversos “escândalos” corporativos no Brasil, foi aprovada a Lei n° 12.846, de 1 de agosto de 2013, mais conhecida como lei anticorrupção brasileira, e o Decreto n° 8.420, de 18 de março de 2015 que regulamentou e definiu os parâmetros para o funcionamento efetivo do programa de integridade. Desta forma, para o alcance do objetivo estabelecido, foram criadas algumas proposições com base nos critérios definidos em lei, para realização da análise nos relatórios e sites corporativos das companhias pertencentes ao Ibovespa. No total foram examinadas as 60 empresas que compõem o índice. Para execução das análises do PI foi utilizada a metodologia qualitativa e para interpretação e tabulação dos dados foi feito o uso da metodologia quantitativa. Por fim, foi possível concluir que as empresas da amostra possuem aderência considerável a alguns itens da regulamentação, mas há que avançar, pois 43,33% das empresas não divulga estrutura específica para o PI. Outrossim, boa parte possui PI desatualizado e baixo esforço de evidenciação. Ademais, uma análise mais minuciosa, evidenciou que importantes empresas não declaram explicitamente como deve ser a conduta dos seus agentes no relacionamento com o setor público.</p> Thais Amélia Rodrigues, Leandro Araújo Wickboldt, Esdras Santos Carvalho Copyright (c) 2022 REUNIR Revista de Administração Contabilidade e Sustentabilidade https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 https://reunir.revistas.ufcg.edu.br/index.php/uacc/article/view/1084 Qui, 22 Dez 2022 00:00:00 -0300 Estrutura de Capital Como Determinante das Oportunidades de Crescimento nas Companhias Listadas na B3 https://reunir.revistas.ufcg.edu.br/index.php/uacc/article/view/1492 <p>Essa pesquisa propõe-se a analisar como a forma que a companhia se endivida influencia suas oportunidades de crescimento. Os dados coletados referem-se às empresas listadas na [B]3, sendo considerado o período de 2009 a 2020. Utilizar-se-á regressão múltipla, por meio de dados em painel com série temporal empilhada, tendo como variável dependente as oportunidades de crescimento, medida por meio do índice Market-to-book (MB) e Q de Tobin (Q), e como variáveis independentes o Endividamento, Tamanho, Retorno sobre o ativo (ROA), Crescimento da Receita e Despesas de Capital (CAPEX). O modelo do Market-to-book foi melhor explicado do que o modelo Q de Tobin pelas variáveis escolhidas. Nos dois modelos o endividamento e a rentabilidades (ROA) foram as variáveis com maior sensibilidade às oportunidades de crescimento. Empresas endividadas apresentaram melhores oportunidades de crescimento.</p> Arthur Frederico Lerner, Leonardo Flach Copyright (c) 2022 REUNIR Revista de Administração Contabilidade e Sustentabilidade https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 https://reunir.revistas.ufcg.edu.br/index.php/uacc/article/view/1492 Qui, 22 Dez 2022 00:00:00 -0300 O Programa Mesa Brasil-SESC sob à luz da Coprodução e da Economia Circular: um estudo multicasos https://reunir.revistas.ufcg.edu.br/index.php/uacc/article/view/1348 <p class="western" align="justify"><span style="font-family: Trebuchet MS, serif;"><span style="font-size: small;">Este trabalho tem como objetivo</span></span> <span style="font-family: Trebuchet MS, serif;"><span style="font-size: small;">analisar o Programa Mesa Brasil-SESC (MBS), sob à luz da Coprodução e da Economia Circular, contextualizadas ao atual cenário Brasileiro, a partir das experiências dos municípios de Ijuí e Erechim/RS. Nesse intuito, o estudo apresenta como elementos teóricos os contextos mundial e brasileiro no que tange às demandas sociais emergentes, os conceitos e as estratégias de Coprodução e de Economia Circular e, por último, o MBS. Ao tratar as falas dos sujeitos da pesquisa, buscou-se estabelecer relação dialógica entre o referencial teórico de apoio e os elementos com aderência a esses conceitos. Assim, observou-se que o Programa, ao encontro dos objetivos de desenvolvimento sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU) para 2030, se apresenta como uma experiência consolidada, com importantes características inerentes à Coprodução e à Economia Circular. O MBS atua com eficiência, eficácia e efetividade, em prol do bem público, por meio de Coprodução, predominantemente, por automobilização, em uma gestão participativa e social. Além disso, desenvolve ações assistenciais e educativas que visam a transcender o modelo linear de produção e de consumo, característica aderente à Economia Circular.</span></span></p> Priscila de Oliveira Rodrigues, Katiane Freu, Luís Moretto Neto Copyright (c) 2022 REUNIR Revista de Administração Contabilidade e Sustentabilidade https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 https://reunir.revistas.ufcg.edu.br/index.php/uacc/article/view/1348 Qui, 22 Dez 2022 00:00:00 -0300 Desonestidade acadêmica: um estudo com discentes do curso de Ciências Contábeis https://reunir.revistas.ufcg.edu.br/index.php/uacc/article/view/1453 <p>&nbsp;</p> <p>Este estudo tem por objetivo averiguar os motivos que influenciam os discentes dos cursos de Ciências Contábeis a serem desonestos.&nbsp; Utilizou-se a abordagem quantitativa, que se desenvolveu a partir da aplicação de um questionário estruturado e validado de Grimes e Rezek (2005) adaptado por Moura (2018), dividido em três dimensões. O questionário foi aplicado em quatro Instituições de Ensino Superior (IES) públicas e privadas da cidade de Mossoró-RN, totalizando 370 respondentes. Os dados foram tratados utilizando o <em>software</em> estatístico SPSS versão 23. A terceira dimensão do questionário foi utilizada como parâmetro para classificar o respondente em honesto ou desonesto, sendo assim, criada a variável dependente desonestidade. Diante do contexto, foram consideradas duas hipóteses: <em>H<sub>0</sub></em>: A desonestidade acadêmica nos cursos de Ciências Contábeis é igual nas instituições públicas e privadas. <em>H<sub>1</sub></em><sub>: </sub>A desonestidade acadêmica nos cursos de Ciências Contábeis é maior nas instituições pública. Na análise dos resultados, foi apresentada a frequência simples e a porcentagem da primeira e segunda dimensão do questionário. Realizou-se uma associação da variável dependente com a primeira e a segunda dimensão. Foram utilizados dois testes, o <em>Qui-Quadrado de Person</em> e <em>Exato de Fisher, </em>para averiguar as variáveis categóricas. Os achados evidenciaram que os motivos que influenciam os acadêmicos de Ciências Contábeis a serem desonestos foram: estar cursando o sétimo período em uma IES pública e desenvolverem uma atividade remunerada. Dessa forma, rejeita-se <em>H<sub>0. </sub></em></p> Amanda Samylli da Silva , Rosângela Queiroz Souza Valdevino, Adriana Martins de Oliveira, Saulo Medeiros Diniz Copyright (c) 2022 REUNIR Revista de Administração Contabilidade e Sustentabilidade https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 https://reunir.revistas.ufcg.edu.br/index.php/uacc/article/view/1453 Qui, 22 Dez 2022 00:00:00 -0300 Usabilidade da Experiência do Usuário no M-Commerce: Uma Revisão Sistemática e Proposta de Agenda de Pesquisa https://reunir.revistas.ufcg.edu.br/index.php/uacc/article/view/1388 <p>O avanço da tecnologia ao longo do tempo estimulou o uso do comércio <em>mobile</em>, ampliando a importância em compreender a experiência do usuário para obtenção de melhores resultados. O objetivo deste estudo é investigar os estudos existentes sobre usabilidade na experiência do usuário (UX) no comércio através de dispositivos móveis (<em>m-commerc</em>e), identificando os direcionamentos principais relacionados ao tema de modo a propor novas perspectivas de pesquisa na área. Este estudo apresenta uma revisão sistemática considerando os artigos publicados sobre os temas de experiência do usuário, usabilidade e <em>m-commerc</em>e na base de dados Periódicos CAPES, no período de 2010 a 2020. Ao analisar 23 estudos, oferece indicadores relevantes para os pesquisadores do tema a partir da proposição de uma agenda de pesquisa. Os resultados apontam que o campo está em desenvolvimento e destaca pesquisas quantitativas com o método survey e estudos que abordem experiência do usuário em m-banking. A agenda de pesquisa sugere diferentes abordagens metodológicas, tais como <em>machine learning</em> e pesquisa experimental podem ser trabalhadas em pesquisas do campo. Ainda, identifica-se oportunidades para estudos que envolvam UX no âmbito de serviços, tais como turismo, A&amp;B e educação.</p> Ana Paula Kieling, Guilherme Vargas, Rafael Tezza Copyright (c) 2022 REUNIR Revista de Administração Contabilidade e Sustentabilidade https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 https://reunir.revistas.ufcg.edu.br/index.php/uacc/article/view/1388 Qui, 22 Dez 2022 00:00:00 -0300 A contribuição do artesanato para o desenvolvimento do turismo cultural: estudo de caso da associação Hernani Sá Criativo em Ilhéus-BA https://reunir.revistas.ufcg.edu.br/index.php/uacc/article/view/1128 <p>O artigo tem como objetivo compreender a contribuição do artesanato produzido pela Associação Hernani Sá Criativo para o desenvolvimento do Turismo Cultural em Ilhéus-Ba. Para alcançar o objetivo proposto, optou-se por apresentar os principais conceitos sobre o tema e fazer uma breve discussão sobre o artesanato, o turismo cultural e a relação do artesanato com o turismo cultural. A pesquisa adotou a abordagem qualitativa. Realizou-se um estudo de caso em uma associação de bairro com a utilização de uma ferramenta da metodologia participativa conhecida como Diagrama de Venn e entrevistas. Concluiu-se que, de modo geral, o artesanato criado na Associação Hernani Sá Criativo contribui para o desenvolvimento do Turismo Cultural em Ilhéus de maneira significativa e direta, pois, os produtos criados pelos artesãos associados traduzem a identidade cultural de Ilhéus e toda região cacaueira. Porém, é necessária uma maior participação do poder público no que se refere a estratégias de valorização do patrimônio e divulgação do artesanato local como um potencial atrativo turístico.</p> Adriana Barreto dos Santos, Risia Kaliane Santana de Souza, Amarildo José Morett, Murilo Barreto Santana Copyright (c) 2022 REUNIR Revista de Administração Contabilidade e Sustentabilidade https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 https://reunir.revistas.ufcg.edu.br/index.php/uacc/article/view/1128 Qui, 22 Dez 2022 00:00:00 -0300 Níveis de sustentabilidade: Revisão sistemática da literatura https://reunir.revistas.ufcg.edu.br/index.php/uacc/article/view/1146 <p>A compreensão dos níveis de sustentabilidade são essenciais para transformar os discursos em ações práticas nas tomadas de decisões e intervenções pontuais para a solução de questões insustentáveis. Neste sentido, este estudo objetivou analisar as correntes teóricas dos níveis (paradigmas) da sustentabilidade e seus limites de aplicabilidade. A metodologia vincula-se a abordagem qualiquantitativa e o procedimento técnico consiste na revisão sistemática da literatura. Os principais resultados apontam que os níveis da sustentabilidade defendidos na literatura centram-se no nível muito fraco, fraco, forte e muito forte. O nível muito fraco é atingido quando há uma substituição integral dos recursos naturais pelos recursos humanos; o nível fraco pela substituição ou compensação parcial, considerando o capital natural crítico um fator limítrofe, dos recursos naturais pelos recursos humanos; o nível forte quando há uma complementação dos diferentes tipos de capitais, que devem coexistir e se desenvolver mutuamente, tendo como apelo a conscientização e gestão ambiental; e o nível muito forte quando há a preservação integral dos recursos naturais e uma redução dos demais capitais. Nesta lógica, o nível fraco e muito fraco podem ser considerados insustentáveis e o nível forte e muito forte podem ser legitimados como sustentáveis. A ideia do desenvolvimento sustentável e da representação gráfica da sustentabilidade, por exemplo, podem ser entendidos como insustentáveis no longo prazo. Portanto, este estudo traz uma reflexão e um alerta à humanidade para repensar a direção desejada do nível de sustentabilidade para o futuro do sistema global, se o almejado é o sustentável ou o insustentável.</p> Alexandre André Feil Copyright (c) 2022 REUNIR Revista de Administração Contabilidade e Sustentabilidade https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 https://reunir.revistas.ufcg.edu.br/index.php/uacc/article/view/1146 Qui, 22 Dez 2022 00:00:00 -0300 Propostas de melhorias na gestão de resíduos no setor calçadista https://reunir.revistas.ufcg.edu.br/index.php/uacc/article/view/1257 <p>Grande parte dos resíduos industriais originam-se do desperdício da matéria prima, proveniente de falhas no processo produtivo. O setor calçadista é um setor de grande impacto ambiental, principalmente pelo volume excessivo de resíduos poluentes gerados, e pelo reduzido reaproveitamento do material. Destarte, se faz mister a correta gestão e destinação final, ambientalmente adequada dos resíduos, além de alterações no processo produtivo, com o intuito de reduzir a quantidade gerada dos mesmos. Neste contexto, foi realizado o estudo com o objetivo de analisar e propor melhorias em relação à gestão de resíduos em empresas do setor calçadista. Quanto a metodologia, o estudo é de natureza aplicada, a pesquisa é descritiva, e a abordagem do problema é qualitativa. Em relação aos procedimentos técnicos, o trabalho consiste na realização de pesquisa bibliográfica e estudo de caso múltiplo de três empresas localizadas no do estado do Rio Grande do Sul. A coleta de dados ocorreu por meio de entrevistas semiestruturadas, levantamento documental e observação não participante. Os resultados evidenciam que as empresas estudadas se preocupam com a correta gestão e destinação final ambientalmente adequada, contudo, existem diversos aspectos que deveriam ser melhorados, principalmente no que se refere ao controle de resíduos e a redução na geração por meio do reaproveitamento/reciclagem.</p> Margarete Blume Vier, Vanessa Theis, Dusan Schreiber Copyright (c) 2022 REUNIR Revista de Administração Contabilidade e Sustentabilidade https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 https://reunir.revistas.ufcg.edu.br/index.php/uacc/article/view/1257 Qui, 22 Dez 2022 00:00:00 -0300 Impactos econômicos, sociais e ambientais da geração de energia eólica em comunidades do Rio Grande do Norte https://reunir.revistas.ufcg.edu.br/index.php/uacc/article/view/1449 <p>O objetivo deste estudo é apresentar os benefícios e impactos advindos da implantação de empresas de geração de energia eólica em comunidades do Rio Grande do Norte, Brasil. O estudo se apoia na teoria dos <em>stakeholders</em>. Para isso, foram feitas visitas técnicas em dois parques eólicos de uma empresa multinacional produtora e em cinco comunidades impactadas pela influência destes. Foram aplicadas entrevistas na empresa e nas comunidades vizinhas, que sofrem impactos diretos dos aerogeradores. Outro instrumento de coleta de dados foi o relatório de auditoria independente e os relatórios socioambientais da corporação. Os resultados apontam para aspectos positivos de remuneração e geração de trabalho, com unanimidade entre empresa, moradores e relatórios de auditoria sobre os benefícios da geração de empregos e impactos positivos na renda local. Embora a renda se mostre como um fator positivo, há as insatisfações sobre oscilações de valores pagos e a falta de transparência. Foi possível observar a contribuição corporativa para o desenvolvimento sustentável, com ações sobre a vida selvagem, cujo construto identifica sinergia nas informações colhidas, com observância para a silvicultura. Por fim, foram identificados também impactos ambientais significativos como poluição sonora e emissões atmosféricas em forma de poeira.</p> Auris Martins de Oliveira, Miguel Afonso Sellitto, Jéferson de Souza Flores Copyright (c) 2022 REUNIR Revista de Administração Contabilidade e Sustentabilidade https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 https://reunir.revistas.ufcg.edu.br/index.php/uacc/article/view/1449 Qui, 22 Dez 2022 00:00:00 -0300