VARIÁVEIS DEMOGRÁFICAS E O COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR DE ÁGUA: ESTUDO DE UMA POPULAÇÃO UNIVERSITÁRIA

Palavras-chave: Comportamento do consumidor de água, Consumo sustentável, Perfil demográfico dos consumidores

Resumo

O consumo sustentável tem sido tema recorrente na sociedade, tendo em vista as consequências do uso indiscriminado dos recursos naturais. Água, bem indispensável à vida, é parte destes recursos e também é utilizada de forma negligente, agravando as situações de restrição hídrica, vivenciadas no Brasil, desde 2014, especificamente nas regiões Sudeste e Nordeste. Neste sentido, conhecer o perfil e o comportamento do consumidor de água é relevante para a elaboração de políticas indutoras ao comportamento sustentável. Assim, o objetivo do estudo foi conhecer o comportamento do consumidor de água de um público universitário, relacionando-o com os aspectos demográficos dessa população. Para tanto, utilizou-se de dados quantitativos e regressão linear para coleta e análise de dados, respectivamente. Como resultado, o índice do comportamento declarado do consumidor de água demonstrou que os respondentes são propícios ao consumo sustentável, e que os consumidores do gênero feminino, com alta renda e escolaridade são mais predispostos a terem comportamentos de consumo sustentáveis. 

Biografia do Autor

Andréia de Fátima Hoelzle Martins, Universidade Federal de Viçosa
Doutoranda em Administração com ênfase em Administração Pública pelo Programa de Pós-Graduação em Administração e Contabilidade da Universidade Federal de Viçosa (UFV)
Daiane Medeiros Roque, Universidade Federal de Viçosa
Doutoranda em Administração com ênfase em Administração Pública pelo Programa de Pós-Graduação em Administração e Contabilidade da Universidade Federal de Viçosa (UFV)
Afonso Augusto de Freitas de Carvalho Lima, Universidade Federal de Viçosa
Professor Doutor do Programa de Pós-Graduação em Administração pelo Departamento de Administração e Contabilidade da Universidade Federal de Viçosa (UFV).
Marco Aurélio Marques Ferreira, Universidade Federal de Viçosa
Professor Doutor do Programa de Pós-Graduação em Administração pelo Departamento de Administração e Contabilidade da Universidade Federal de Viçosa (UFV).

Referências

AFONSO, A. O consumidor verde: perfil e comportamento de compra. Dissertação. Programa de pós-graduação de Economia e Gestão. Universidade Técnica de Lisboa. Lisboa, 2010, p. 117.

AZEVÊDO, A.; CUNHA, F.; QUINELATO, R.; MADUREIRA, D. Consciência ambiental e comportamento do consumidor. In. SEMINÁRIOS DE ADMINISTRAÇÃO - SEMEAD, São Paulo, SP, Brasil. Anais... São Paulo/SP: Setembro de 2010, p.16.

BEDANTE, G. N. A influência da consciência ambiental e das atitudes com relação ao consumo sustentável na intenção de compras de produtos ecologicamente embalados. Dissertação. Programa de pós-graduação em Administração. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre-RS, 2004, p.159.

BERK, R.; SCHULMAN, D.; MCKEEVER, M.; FREEMAN, H. Measuring the impact of water conservation campaigns in California. Climatic Change, vol. 24, jul 1993, pp. 233-248.

BLACKWELL, R.; MINIARD, P.; ENGEL, J. Comportamento do consumidor. São Paulo, Pioneira Thomson Learning, 2005.

BLAKE, J. Overcoming the ‘value–action gap’ in environmental policy: tensions between national policy and local experience. Local Environment, vol. 4, n. 3, 1999, pp. 257-278.

BRASIL. Constituição Federativa do Brasil. 1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm>. Aceso em: 10 jun. 2017.

CAPELINI, M. Potencialidade e aplicação da prevenção de resíduos de embalagens: abordagem sobre o projeto do produto e o consumo. Tese de Doutorado. Programa de pós-graduação em Engenharia Ambiental. Universidade de São Paulo. São Paulo-SP, 2007. p. 257.

CUNHA, S.; COELHO, M. Política e gestão ambiental. In: CUNHA, S.; GUERRA, A. (Orgs). A questão ambiental: diferentes abordagens. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003. pp. 43-76.

DACIÊ, F.; PANHOCA, L.; ESPEJO, M; BEZERRA, C. Quem é o “bicho verde”? Um estudo do comportamento verde de alunos do estado do Paraná. Organizações e Sustantabilidade. vol. 3, n. 1, jan/jun 2015, pp. 109-139.

DE OLIVER, M. Attitudes and Inaction: A Case Study of the Manifest Demographics of Urban Water Conservation. Environment and Behavior, vol. 31, n. 3, 1999, pp. 372-394.

FÁVERO, L.; SILVA, F.; BELFIORE, P.; CHAN, B. Análise de dados: Modelagem multivariada para tomada de decisões. Rio de Janeiro, Campus, 2009.

FISHBEIN, M.; AJZEN, I. Belief, Attitude, Intention, and Behavior: an introduction to theory and research. Reading, MA, Addison-Wesley Publications, 1975.

FRANCO, I. K. Valores e comportamento ecológico: Uma análise comparativa e evolutiva dos alunos de dois cursos de graduação da USP. Dissertação. Programa de pós-graduação em Administração. Universidade de São Paulo. Ribeirão Preto-SP, 2012, p.111.

G1. Racionamento de água já dura três meses em Viçosa. 19 Ago. 2016. Disponível em: <http://g1.globo.com/mg/zona-da-mata/noticia/2016/08/racionamento-de-agua-ja-dura-tres-meses-em-vicosa.html>. Acesso em: 02 ago. 2017.

GETZNER, M.; GRABNER-KRÄUTER, S. Consumer preferences and marketing strategies for “green shares” Specifics of the Austrian market. International Journal of Bank Marketing, vol.22, n.4, 2004, pp.260-278.

GILG, A; BARR, S. Behavioural attitudes towards water saving: Evidence from a study of environmental actions. Ecological Economics, vol. 57, n.3, 2006, pp.400-414.

GOMES, G.; GORNI, P. M.; DREHER, M. Consumo sustentável e o comportamento de universitários: discurso e práxis. Revista Eletrônica de Ciência Administrativa, v. 10, n. 2, nov 2011, pp. 80-92.

GROHMANN, M.; BATTISTELLA, L.; VELTER, A; CASASOLA, F. Comportamento ecologicamente consciente do consumidor: adaptação da escala ECCB para o contexto brasileiro. Revista de Gestão Social e Ambiental, São Paulo, vol. 6, n.1, jan/abril 2012, pp.102-116.

HAIR, J.; ANDERSON, R.; TATHAM, R.; BLACK, W. Análise multivariada de dados. 6ª ed. Porto Alegre, Bookman, 2009.

HINES, J.; HUNGERFORD, H.; TOMERA, A. Analysis and synthesis of research on responsible pro-environmental behavior: a meta-analysis. The Journal of Environmental Education, vol.18, n.2, 1986, pp.1–8.

KOLLMUSS, A.; AGYEMAN, J. Mind the Gap: why do people act environmentally and what are the barriers to pro-environmental behaviour? Environmental Educations Research, v.8, n.3, 2002, pp.239-260.

LEONIDOU, L. C.; LEONIDOU, C. N.; KVASOVA, O. Antecedents and outcomes of consumer environmentally friendly attitudes and behaviour. Journal of Marketing Management, vol. 26, n.13, 2010, pp.1319–1344.

MAROCO, J.; GARCIA-MARQUES, T. Qual a confiabilidade do alfa de Cronbach? Questões antigas e soluções modernas. Laboratório de Psicologia, vol. 4, n.1, 2006, pp.65-90.

MISSIO, F.; JACOBI, L. Variáveis dummy: especificações de modelos com parâmetros variáveis. Ciência e Natura, vol. 29, n.1, 2007, pp.111-135.

NEWELL, S; GREEN, C. Racial Differences in Consumer Environmental Concern. Journal of Consumer Affairs, vol. 31, 1997, pp. 53-69.

RANDOLPH, B.; TROY, P. Attitudes to conservation and water consumption. Environmental science & policy, vol. 11, n.5, 2008, pp. 441-455.

relações sociais. São Paulo: EDU, 1987.

RIBEIRO, J.; VEIGA, R. Proposição de uma escala de consumo sustentável. Revista de Administração, vol. 46, n.1, jan/fev/mar 2011, pp. 45-60.

ROBERTS, D. Landscape vegetation modelling with vital attributes and fuzzy systems theory. Ecological Modelling, vol. 90, n.2, 1996, pp. 175-184.

SAMARA, B.; MORSCH, M. Comportamento do consumidor: conceitos e casos. São Paulo, Pearson Prentice Hall, 2005.

SANTOS, M.; CONKE, L. Ciclistas e motoristas: consumidores ecologicamente corretos? Revista Eletrônica Gestão e Saúde. Edição Especial, 2014, pp. 3397-14.

SOLOMON, M. R. O Comportamento do Consumidor: comprando, possuindo e sendo. 9ª ed. Porto Alegre, Bookman, 2011.

STERN, P.; TROY, T.; GUAGNANO, G.; KALOF, L. Society for Human Ecology A Value-Belief-Norm Theory of Support for Social Movements: The Case of Environmentalism Research in Human Ecology. Human Ecology Review, vol. 6, n.2, 1999, pp. 81-97.

STRAUGHAN, R.; ROBERTS, J. Environmental segmentation alternatives: a look at green consumer behaviour in the new millennium. Journal of Consumer Marketing, vol. 16, n.6, 1999, pp. 558-575.

THOGERSEN, J.; SCHRADER, U. From knowledge to Action – New Paths Towards Sustainable Consumption. Journal of Consumer Policy, vol.35, n.1, 2012, pp.1-5.

Triandis H. Interpersonal behavior. Monterey, Brooks/Cole, 1977.

TRIOLA, M. F. Introdução à Estatística. 9° ed. Rio de Janeiro, LTC, 2005.

VACCARI, L. O hiato entre atitude e comportamento ecologicamente conscientes: Um estudo com consumidores de diferentes gerações. Tese de doutorado. Programa de pós-graduação em Administração. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro-RJ, 2014, p.246.

WALL, R.; WRIGHT, P.; MILL, G. Organised Activity? A critical review of theoretical constructs used to explain environmentally-significant behaviour. Leicester, Mimeo, Montford University, 2004.

Publicado
2018-05-28
Seção
Artigos científicos